Início > Teorias > Chove lá fora. A casa é nova. Se você for ela – ou o Bauman – não leia

Chove lá fora. A casa é nova. Se você for ela – ou o Bauman – não leia

Chove lá fora. A casa é nova. Parece não ser minha. Talvez ela esteja mais à vontade do que eu. Calça jeans não é boa pra dormir, mas ela não tem roupas aqui. Ofereço meu short e uma camiseta larga. Confesso, fica lindo.

Chove lá fora. A casa é nova. Ainda estou me acostumando. Levanto e vou fazer um café. Ela me segue e pergunta quais são meus projetos de vida. Não sei o que dizer. Respondo que ela fica exuberante sem toda aquela produção. Com um sorriso safado, ela esquece a resposta.

Chove lá fora. A casa é nova. Onde é que tem uma tomada? O café me cura a ansiedade. Me salva de um ataque e nos tira o sono. Ela fala sobre sexo. É o único assunto que nos é comum. Ela fala das experiências. Tento me afogar no café. Não consigo.

Chove lá fora. A casa é nova. Suspeito não ser nossa. Das palavras para a ação. Num piscar de olhos, peças íntimas no chão. Contemplo. Temos sede. Ela é linda. Minha camiseta larga revela os seios dela um jeito moleque. Mergulho. Mas, como um despertador que soa antes do amanhecer, a embalagem do preservativo aberto berra a falta de intimidade.

Chove lá fora. A casa é nova. Talvez precise de um aquecedor. Ela levanta e pergunta se pode pegar um copo d’água. Balanço a cabeça positivamente. Os passos pela casa fazem barulho. Curioso, olho. Ela está de salto alto. Um lapso me lembra que ela não os tirou desde que chegou. Experiente, ela conhece os fetiches masculinos.

Chove lá fora. A casa é nova. Preciso de uma cama mais silenciosa. Ela volta. Com o copo d’água na mão, reclama que eu embaracei seus cabelos. Ligo meu notebook. Ela pede: escreve um daqueles seus textos. Minto e digo que só escrevo sob absoluto silêncio. Ela esmorece. Conserto e digo que vou escrever um texto que a terá como personagem.

Chove lá fora. A casa é nova. Definitivamente não é dela. Cumpro agora minha promessa. Nosso casamento efêmero termina aqui. Que Bauman – e ela – não leia, mas se quiser de novo, eu te amo por mais um dia.

Anúncios
  1. s.
    junho 12, 2012 às 2:33 am

    =O

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: